RP Paisagismo

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
PERGOLADOS - Pergolados

Os pergolados dão  um  charme característico ao  jardim: as  parreiras,  por  exemplo, com cachos de  uvas  ao  invés  de  flores. Com  o  tempo, as parreiras   passaram  a  se  enfeitar  de flores, acomodando  lindas  trepadeiras.

Neste caso, a graça está na coreografia da luz, que cria diferentes contrastes de acordo com a incidência. Nas coberturas, se  encaixam muito  bem  em  vários  tipos  de  projeto, principalmente quando os materiais usados seguem  a  linha  arquitetônica  da obra, e as  espécies  escolhidas  combinam  com as  demais  ao  redor. Podem  ser  construídos  em  locais específicos, como na entrada  das casas, nos  pátios internos, nos  espaços de varandas abertas e  jardins  de  inverno.

A diferença entre pérgola e caramanchão e que as pérgolas são suportes ligados à casa ou a muros, e o caramanchão tem  estrutura independente. Os pergolados e caramanchões se tornam pontos de parada para contemplar a beleza da paisagem que os cerca.


TREPADEIRAS INDICADAS PARA PERGOLADO

trepadeir-1

1  - FLOR-DE-CERA
A flor-de-cera (Hoya carnosa) tem crescimento moderado e delicado, possuindo um conjunto de flores pendentes na cor branco-rósea. Aprecia meia-sombra, solo rico em matéria orgânica e regas espaçadas

trepadeir-2

2 - JASMIM-ESTRELA
O cultivo do jasmim-estrela (Jasminum nitidum) deve ser a pleno sol e em terrenos bem drenados. Suas flores são brancas, muito perfumadas, estreladas e formadas na primavera-verão. Não suporta geadas.

trepadeir-3

3 - LÁGRIMA-DE-CRISTO
A lágrima-de-cristo (Clerodendron thomsonae] conta com florescimento e folhagem muito decorativos. Suas inflorescências (conjuntos de flores) são bastante ramificadas e as flores vermelhas aparecem na primavera-verão.

trepadeir-4

4 - MARACUJÁ
De crescimento vigoroso, o maracujá (Passiflora edulis) tem frutos arredondados, com numerosas sementes e polpa saborosa. Sua flor também é muito ornamental. Precisa ficar em local a pleno sol e com terra adubada.

trepadeir-5

5 - SAPATINHO-DE-JUDIA
Trepadeira muito vigorosa, a sapatinho-de-judia (Thunbergia mysorensis) é originária da Índia e não aprecia baixas temperaturas, sendo indicada para regiões tropicais. Suas flores são muito visitadas por beija-flores.

trepadeir-6

6 - TREPADEIRA-DE-ARCO
Possui flores grandes, brancas e de corola bem expandida, com centro rosa-arroxeado. A trepadeira-de-arco (Pandorea jasminoides) é recomendada para pérgolas pequenas, pois possui crescimento moderado.

trepadeir-7

7 - UVA
Os frutos da uva são bagas com polpa doce, gelatinosa e firme. Sua casca pode ter cor verde, amarela, rósea, roxa e preta. O período de frutificação muda conforme a região, o clima e a variedade.



CONDUÇÃO DE TREPADEIRA

O pergolado ganha vida quando revestido por plantas, mas é importante observar se a espécie escolhida é compatível com a estrutura, verificando, por exemplo, se esta suportará seu peso depois de adulta. É aconselhável que o plantio seja feito na terra porque, no vaso, o crescimento da muda é inibido. Ao finalizar o procedimento, é preciso regá-la diariamente por uma semana, de preferência pela manhã ou ao entardecer. Após 90 dias, é recomendável realizar uma adubação de cobertura do terreno.

A seguir, aprenda, passo a passo, como conduzir uma trepadeira.


MATERIAIS: muda de trepadeira, adubo, pá, estaca de madeira e arame encapado com plástico

conducao_trep1 conducao_trep2 conducao_trep3

1 - Antes do plantio, retire  as plantas ao redor, pois a trepadeira é competitiva e pode se alastrar.

2 - Usando a pá, abra uma cova de 40 x 40 x 40 cm próxima a uma das vigas do pergolado

3 - Afofe o solo para arejá-lo e acrescente adubo na quantidade indicada para a espécie cultivada

conducao_trep4

conducao_trep5

conducao_trep6

4 - A seguir, para o tutora-mento, use uma estaca de madeira com altura superior a da muda

5 - Prenda a planta com anéis feitos de arame encapado com plástico, mas sem apertar muito

6 - Fixe a muda na base da estrutura do pergolado, fazendo anéis com arame encapado com plástico

 


 

MODELO CLÁSSICO

modelo_classico

Onze vigotas de ipê tabaco,  com espessura de 10 x 10 cm e 3,30 m de comprimento, cruzam a estrutura e  formam o caramanchão.  Chumbadas no concreto do piso, as colunas não têm contato direto com o solo e assim ganham maior tempo de vida.


COBERTURAS TRANSPARENTES

cobertura_transparente

O emprego de materiais translúcidos para o fechamento superior de pérgulas e caramanchões atende tanto aos aspectos estéticos quanto aos práticos. Com eles, o céu e a copa das árvores se integram ao visual do ambiente, que tem seu uso garantido também nos dias de chuva. Pode-se optar entre o vidro temperado e o policarbonato. Nos dois casos, a cobertura não exige estruturas pesadas, porém a vedação entre as placas deve ser feita com muito cuidado e com inclinação, para evitar infiltrações. Entre as qualidades do vidro temperado estão o preço, a resistência a riscos e a ausência de estilhaços, caso quebre. Já o policarbonato é mais leve, possibilita curvaturas e é bastante resistente a impactos. Para limpar ambos os materiais, use água e sabão neutro, a cada seis meses.


PRIMAVERA: UM CASO À PARTE

 

primavera_aparte

Apesar de chamada popularmente de trepadeira, a primavera pertence à família dos arbustos escandentes. Ela pode ser plantada em vasos e também cobrir caramanchões. Volumosos, seus ramos requerem espaço para se desenvolver, sendo necessário amarrá-los até que atinjam a altura desejada. Em seu pleno desenvolvimento, a planta se transforma num grande maciço florido. Da família das nictagináceas, é tipicamente brasileira e chega a atingir 5 m de altura. As flores — branco, vermelho, maravilha, amarelo ou laranja — aparecem o ano inteiro. Não faz exigências quanto ao solo, mas para crescer saudável pede poda de limpeza. Adora sol, assim como regas frequentes nos primeiros meses após o plantio. Depois, água uma vez por quinzena, se não chover.


ROSAS TREPADEIRAS

 

rosa_trepadeira

Originárias do Japão, com variedades com e sem espinho, são plantas que, a pleno sol e em campo aberto, atingem porte arbustivo. Quando plantadas numa pérgula ou em arcos, espicham seus ramos e alongam seus caules, apoiando-se nos tutores disponíveis. Desse modo, crescem bastante e são consideradas trepadeiras. Preferem solos arenosos e regiões de clima ameno. Floridas quase o tempo todo, precisam ser podadas anualmente para renovar a energia. Nos meses quentes, devem ser regadas de duas a três vezes por semana; nos demais, apenas uma vez a cada sete dias.  As flores grandes e perfumadas dão as boas-vindas aos que chegam à casa. Podendo atingir até 5 m de altura, estas rosas devem ser educadas constantemente para não se desviar muito do arco.


SINGULARIDADE DAS TREPADEIRAS

trepadeiras

Rosas desse tipo costumam ser as que mais demoram para florir. Depois de plantadas, levam um ano para entrar em formação, e mais um para dar flor. Precisam de amarrilhos que orientem o crescimento dos galhos, pois não possuem garras naturais. É fundamental, para manter a planta saudável, equilibrar a rega e podar na época adequada. Depois do plantio, regue moderadamente por 30 dias, espaçando uma vez por semana no inverno e duas vezes em épocas de seca. Suspenda a água na temporada das chuvas. Jardineiros experientes preferem ajustar a mangueira para gotejar a rega, em vez de usar o jato d'água normal. Um ano mais tarde, entre julho e agosto, inicie a poda para orientar o crescimento. Para trepadeiras, recomenda-se que ela seja feita somente na ponta das hastes, no máximo um quarto de seu comprimento.

 

pergolados
pergolados1
pergolados2
pergolados3
pergolados4
pergolados5
pergolados6
pergolados7
pergolados8
pergolados9
 
Display Num 
 
 
Powered by Phoca Gallery